Pages

24 julho 2011

[Música] You Know I'm No Good


Você vai ver posts em quase todos os blogs, matérias especiais em todos os sites. Mas eu não poderia deixar de falar sobre o assunto do fim de semana: a morte de Amy Winehouse! Tomadas as devidas proporções, a morte dela teve o mesmo efeito da morte de Michael Jackson. Foi repentina, mas não inesperada! E assim como MJ, com a morte dela, vão-se os escândalos e fica apenas sua música! Cada um sabe o que faz da vida. Pra mim, o que importa é o que a pessoa se propõe a fazer no âmbito profissional seja bem feito. No caso de Amy, de certa maneira, foi muito bem feito!, até o momento em que os abusos interferiram, e muito, em sua performace nos palcos e estúdios...
Acho que não preciso ser hipócrita de falar sobre os excessos de Amy com o álcool ou as drogas. Vão pulular por aí matérias sobre o poder de destruição das drogas que tomarão ela como (mau) exemplo! Mas pra mim, agora, isso pouco importa. O que importa é que morreu no último sábado talvez a maior cantora de sua geração, desse século XXI. Poucas cantoras tinham tamanho poder vocal e cantavam com tanta intensidade! Hoje temos como um exemplo, Adele! Deixando claro que não entendo absolutamente nada sobre técnica musical...
Mas enfim, agora é esperar pelo lançamento póstumo de seu álbum recém gravado e colocar pra tocar em loop eterno. Lembrando que o 'Back to Black' já bateu todos os recordes de venda da própria cantora mundo afora...

3 comentários:

pinguim disse...

Apesar de esperada, uma espécie de "morte anunciada",produziu em mim, uma grande tristeza.
A sua voz, essa não morrerá nunca.

Paulo Braccini - Bratz disse...

a vida pessoal de cada um e suas escolhas são coisas de fôro íntimo ... não julgo ... agora ... enquanto cantora e compositora ela foi uma joia rara dos tempos modernos ... inesquecível ...

Gusta Fernandes disse...

uma grande cantora, apesar de muitos estarem criticando e julgando como ela levava a vida, não a critico... Amy viveu a vida dela como ela quis.

Sinto um pesar pela perda de uma das grandes vozes desse século, que anda escasso de bons cantores.

Abraços!